Etiquetas

, , ,


O fogo que no sábado deflagrou no concelho de Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, é um dos que mais vítimas mortais provocou nos últimos anos em Portugal, com 25 mortos já con

O fogo que no sábado deflagrou no concelho de Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, é um dos que mais vítimas mortais provocou nos últimos anos em Portugal, com 25 mortos já confirmados pelo Governo.

Todos os mortos são civis, segundo as autoridades, e a maioria foi encontrada dentro de 15 viaturas numa estrada nacional entre Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera ou nas imediações deste local.

Igual número de mortos causou um incêndio há mais de 50 anos, em setembro de 1966, na serra de Sintra, que foi notícia em todo o mundo. Neste caso, morreram 25 militares do Regimento de Artilharia Anti-Aérea Fixa de Queluz (RAAF), quando tentavam combater as chamas.

Em 1985, em Armamar, 14 bombeiros foram apanhados pelas chamas e em 1986, em Águeda, o fogo provocou 16 mortos.

Mais recentemente, nos grandes incêndios de 2003, de norte a sul do país, morreram duas dezenas de pessoas.

Três anos depois, em 2006, no distrito da Guarda, cinco bombeiros chilenos morreram ao combaterem o fogo.

No ano 2012, centenas de incêndios registados provocaram seis mortos, quatro deles bombeiros.

Em agosto de 2013, quando se registaram mais de 7.000 incêndios, morreram nove pessoas – oito bombeiros e um civil – com 120 mil hectares de floresta ardida.

No ano passado, os incêndios na Madeira provocaram três mortos e destruíram 37 habitações, uma situação que levou o Governo a fazer um pedido de ajuda à União Europeia para o combate ao sinistro.

[Notícia atualizada às 6h30]

Fonte: Noticias ao Minuto