Etiquetas

, ,


Hoje é dia 15 de junho de 2017, um dia que ficará na História da União Europeia devido ao fim do roaming.

Hoje é dia 15 de junho de 2017, um dia que ficará na História da União Europeia devido ao fim do roaming.

Chegaram ao fim os dez (longos) anos de negociação para pôr um ponto final ao roaming na União Europeia. Em causa estiveram dezenas de avanços e recuos, mas Comissão Europeia, Estados-membros e operadoras chegaram a acordo e o dia 15 de junho ficará na História como uma conquista para os cidadãos europeus.

Se as viagens eram amplamente marcadas pelas poupanças no que toca a comunicações e pela necessidade de usar redes Wi-Fi para contactar familiares e amigos, o fim do roaming vai mudar esse conceito e os utilizadores vão passar a ter acesso ao mesmo tarifário que contrataram em território nacional.

O Notícias ao Minuto reuniu alguma das informações divulgadas pelas operadoras de telecomunicações por forma esclarecer alguns pontos relevantes.

1. O que implica o fim do roaming?

A partir desta quinta-feira, dia 15 de junho, os utilizadores deixam de pagar valores extra para comunicações por se encontrarem noutros países. Assim, o tarifário que têm em Portugal é o mesmo que utilizam no estrangeiro, não pagando mais (exceto de acordo com a Política de Utilização Responsável [PUR] – pode perceber de que se trata no ponto 6).

2. Em que países deixará de existir roaming?

Os 28 países da União Europeia estão incluídos nesta atualização em termos de comunicações. São eles a Áustria, Bélgica, Bulgária, Croácia, Chipre, República Checa, Dinamarca, Estónia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Irlanda, Itália, Letónia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Holanda, Polónia, Portugal, Roménia, Eslovénia, Eslováquia, Espanha, Suécia e Reino Unido.

Há ainda outros três países em que o roaming também verá o fim, sendo eles a Islândia, Liechtenstein e Noruega. Não há uma data ao certo, mas deverá ser dentro de pouco tempo.

3. Os emigrantes podem usar o cartão português sem preocupações?

Nesta situação o caso poderá mudar um pouco de figura, já que pode ser usada uma espécie de defesa das empresas. Em causa estará a permanência fixa de uma pessoa num país que não o de origem do tarifário, o que pode levar as operadoras a aplicarem taxas adicionais quando um cliente está mais tempo no estrangeiro do que em Portugal, num período de quatro meses.

4. Precisa de pedir à operadora para que as alterações sejam aplicadas no seu tarifário?

Não. Serão as operadoras, um pouco por toda a Europa, a avisar os clientes e a procederem a todas as alterações necessárias.

5. Deve ser informado pela operadora sobre as alterações?

Sim. As empresas de telecomunicações devem avisar os clientes sobre as alterações em causa e sobre a especificidades de cada tarifário, o que tem acontecido nas últimas semanas.

6. O que é a Política de Utilização Responsável (PUR) de que as operadoras falam?

Trata-se de uma sobretaxa que pretende disciplinar os consumos de dados móveis no estrangeiro. Deste modo, as operadoras aconselham moderação na hora de usar internet do tarifário para que não haja surpresas.

Porém, cada cliente deve contactar a sua operadora para perceber que tipo de PUR tem associada ao seu tarifário.

Fonte: Noticias ao Minuto