Etiquetas

, , ,


Irá ser publicado esta semana um novo livro em França sobre o assunto. Os autores tiveram acesso a mais de 8000 páginas da investigação criminal.

Irá ser publicado esta semana um novo livro em França sobre o assunto. Os autores tiveram acesso a mais de 8000 páginas da investigação criminal.

Não foi uma conspiração, nem um atentado terrorista, nem nada do género que matou a princesa Diana, garantem os autores do livro ‘Qui a tué Lady Di’ [Quem Matou a Lady D?’]. A publicação, que chega ainda esta semana às livrarias francesas, desmente praticamente todas as teorias que surgiram logo após a morte da princesa Diana, em 1997.

Os autores – Pascal Rostain, Bruno Mouron e Jean-Michel Caradec’h – tiveram acesso a mais de 8000 páginas da investigação policial feita na época. Segundo os mesmos, a causa do acidente terá sido o excesso de velocidade a que o motorista circulava, devido ao álcool e anti-depressivos que tinha tomado antes de viagem.

No entanto é também revelado que o automóvel, que pertencia ao hotel Ritz onde a princesa e o companheiro Dodi Al-Fayed estavam hospedados, não se encontrava em perfeitas condições de circulação. “A partir dos 60 km por hora era impossível controlá-lo”, referem.

Apesar destas informações, os autores do livro não ilibam o motorista de responsabilidade, até porque na altura apresentava 1,81 gramas de álcool por litro de sangue e não tinha autorização para conduzir um carro de luxo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Na mesma perspetiva, todas as teorias de conspiração contra a família real britânica, acusada de orquestrar a morte do casal por não concordar com as origens egípcias do namorado de Diana, foram negadas.

Fonte: Noticias ao Minuto