Etiquetas

, , , , ,


Michel Temer

O presidente do Brasil foi acusado de envolvimento em, pelo menos, três crimes: obstrução à justiça, corrupção passiva e organização criminosa.

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao Supremo Tribunal Brasileiro (STF) a abertura de uma investigação, acusando Michel Temer, presidente do Brasil, de obstrução à justiça, corrupção passiva e organização criminosa.

A notícia é esta sexta-feira avançada pela Folha de S. Paulo, um dia depois de ser divulgado um áudio onde o chefe de Estado é, supostamente, ouvido a autorizar suborno para evitar uma delação.

Recorde-se que esta decisão está relacionada com uma denúncia feita pelos donos da JBS, os empresários Joesley Batista e Wesley Batista, que gravaram a referida conversa com Temer.

O alegado suborno destinava-se ao ex-deputado Eduardo Cunha, preso por envolvimento nos casos de corrupção da Petrobras, para que este não testemunhasse.

O presidente do Brasil autorizava, assim, um pagamento para evitar uma delação de que já estava a ser alvo, pois Joesley Batista e Wesley Batista gravavam a conversa em conluio com as autoridades. Os dois empresários estão agora em Nova Iorque, nos Estados Unidos.

Delação premiada, sublinhe-se, é um benefício legal da legislação brasileira que permite reduzir a pena a um réu se este colaborar com as autoridades na resolução de um determinado caso (por exemplo, através da entrega de outros suspeitos).

[Notícia atualizada às 19h28]

Fonte: Noticias ao Minuto