Etiquetas

, ,


Intervenção e Resgate Animal

O grupo IRA – Intervenção e Resgate Animal critica opinião de Miguel Sousa Tavares sobre os cães de raça potencialmente perigosa, considerando que em Portugal “ninguém quer saber dos animais para nada”.

Continua na ordem do dia a discussão sobre os cães de raça potencialmente perigosa. Um debate motivado pelos ataques recentes, nomeadamente em Matosinhos. Ora, como de resto é habitual, Miguel Sousa Tavares comentou os temas da atualidade no seu espaço da SIC.

Dizia então o comentador que os cães de raça perigosa ou potencialmente perigosa são cães de ataque, especialmente criados para esse efeito. Quem ouviu e não gostou da opinião do escritor foi o IRA – grupo de Intervenção e Resgate Animal que não tardou em manifestar-se no Facebook.

“Respeite os cães, respeite os donos dos cães potencialmente perigosos e sobretudo respeite os Portugueses!”, começa por escrever o grupo, dirigindo-se a Miguel Sousa Tavares. “É uma vergonha a comunicação social, em horário nobre e com o peso mediático sobre a opinião pública, permitir este tipo de “comentador” e discurso!”, prossegue, notando que as leis em Portugal existem “para inglês ver”, que “ninguém quer saber dos animais para nada” e que “a prova disso está neste tipo de lobbies!”.

É, para o grupo, algo “permissivo e incoerente”. “Não estamos acima da lei, mas não seremos tolerantes com este tipo de postura e existência!”, remata.

Fonte: Noticias ao Minuto