Etiquetas

, , , ,


Entre janeiro e março, o défice das Administrações Públicas (AP) fixou-se em 358 milhões de euros, uma melhoria de 290 milhões de euros face a igual período do ano passado.

Entre janeiro e março, o défice das Administrações Públicas (AP) fixou-se em 358 milhões de euros, uma melhoria de 290 milhões de euros face a igual período do ano passado.

O Ministério das Finanças divulgou esta quarta-feira, em comunicado enviado às redações, que no primeiro trimestre do ano, “o défice das Administrações Públicas melhorou 290 milhões de euros, face a igual período do ano anterior, fixando-se agora em 358 milhões”.

“O excedente primário cresceu 280 milhões (+22,9%) para 1.502 milhões”, lê-se no documento que sustenta estes resultados na “estabilização da despesa, que cresce de apenas 0,3%, e de um crescimento da receita de 1,9%” que, refere a tutela, “foi condicionado por efeitos temporários ou sem impacto nas contas nacionais de 2017, com especial incidência nos dois primeiros meses de 2017”. Sendo que, excluídos estes fatores, “a receita das Administrações Públicas vem refletindo a melhoria da atividade económica”.

No que diz respeito à receita bruta de IVA registou-se entre janeiro e março um aumento de 7% e “as contribuições para a Segurança Social 5,5%, evoluções superiores aos valores inscritos no OE2017”.

“A despesa primária das Administrações Públicas apresentou um crescimento de 0,4%, explicado em grande medida pelo aumento da despesa de capital (15,9%), tendo a despesa corrente primária recuado 0,6%”, acrescenta o Ministério das Finanças.

“A dívida não financeira nas Administrações Públicas – despesa sem o correspondente pagamento, incluindo pagamentos em atraso – reduziu-se em 365 milhões de euros face a igual período de 2016, tendo o stock de pagamentos em atraso registado um decréscimo de 42 milhões de euros”.

Fonte: Noticias ao Minuto