Etiquetas

, , , ,


Rui Vitória

Técnico diz que as polémicas que envolveram os dois jogadores unem o balneário

Rui Vitória saiu em defesa de Samaris e Jonas, na sequência das polémicas saídas do jogo em Moreira de Cónegos. O grego está a contas com um processo disciplinar por agressão a Diego Ivo, jogador do Moreirense que também se queixou, no final do encontro, que Jonas tinha desejado a despromoção da equipa minhota.

«Isto só acontece por estar em causa um jogador do Benfica. É daquelas coisas que me enervam um bocado, pois estamos a falar de um profissional de excelência, que está aqui há três anos e no final do primeiro já falava melhor português do que muitos portugueses. Por causa de um lance que acontece com alguma frequência foram páginas de jornais, foram debates…Se não joga um, joga outro, mas não admito que se coloque em causa o profissionalismo desse ou de outros jogadores, como é o caso de Jonas», afirmou o técnico, na antevisão do jogo com o Marítimo.

«Ainda ontem tivemos seis jogadores que foram galardoados pela excelente época que fizeram, e foram escolhidos pelos colegas de profissão. Ninguém faz uma época de qualidade se não for um excelente profissional. Sou o maior críticos dos meus jogadores, mas quando lhes tocam é como tocarem aos meus filhos». acrescentou Rui Vitória, que criticou as declarações de Diego Ivo.

«O que se faz lá dentro, fica lá dentro. O que se diz lá dentro, fica lá dentro. Os jogadores não se tratam mal, às vezes? De vez em quando não há uma palavra mais agressiva? Há códigos de conduta que não se ultrapassam. Sabem como acabou esse episódio? A pedirem a camisola do Jonas. E o Benfica deu, como sempre. Espero que os jogadores do Moreirense sejam profissionais em todos os jogos. Tenho muita estima pelo presidente, por aquela gente que conheço, e com a qualidade que mostraram contra nós, a baterem-se assim, acredito que não vão descer», acrescentou.

«Estas coisas unem-nos ainda mais, e unem os 55 ou 60 mil que vão estar cá. Cada vez percebem melhor o fenómeno, e o que se pretende com isto. Aqui ninguém fica isolado. Não é um ato isolado que se generaliza. Fico magoado, pois estamos a falar de profissionais de excelência», prosseguiu.

Questionado sobre um eventual castigo interno a Samaris, Rui Vitória soltou de imediato um «isso é que faltava», sem querer também pronunciar-se em concreto sobre o processo disciplinar instaurado ao médio pelo Conselho de Disciplina.

«Isso é para os juízes, não é para mim. Há tanta coisa que vejo dita e feita, que nem vale a pena comentar. Quem quiser que analise. Há aí muita gente a avaliar. Se há celeridade é com o Benfica. Foi tudo muito rápido: o meu castigo, o do meu presidente, o do diretor…tudo muito rápido. Se alguém tiver de ser castigado, como eu fui…esteve lá outro colega da equipa técnica no banco, como estará outro jogador…», afirmou.

Fonte: maisfutebol