Pais norte-americanos que torturaram 13 filhos dizem-se inocentes

Etiquetas

, , ,


David Allen Turpin, 57 anos, e Louise Anna Turpin, 49 anos

Os pais acusados hoje de tortura e sequestro de doze dos 13 filhos durante vários anos, disseram no tribunal estar inocentes dos crimes, segundo fonte judicial do tribunal de Riverside, na Califórnia, Estados Unidos.

David Allen Turpin, 57 anos, e Louise Anna Turpin, 49 anos, foram apresentados hoje perante um juiz, vestidos de negro e algemados, de acordo com um assistente do processo.

Exceto o mais novo, de dois anos, as crianças, jovens e adultos estavam severamente malnutridas, só tomavam banho uma vez por ano e nunca foram ao dentista.

“O que começou por ser negligência passou para maus-tratos brutais”, disse Mike Hestrin, procurador do condado de Riverside, após a audiência.

Os pais foram acusados de tortura, sequestro, maus-tratos, atos obscenos e negligência, mas ainda poderão ser inculpados de outros crimes, e não deram explicações para a situação dos filhos.

“São maus-tratos físicos e emocionais graves, num comportamento perverso”, disse o procurador, acrescentando que está em curso um inquérito.

A próxima audiência na justiça ficou marcada para 23 de fevereiro.

Se todas as acusações contra eles forem provadas, David Allen Turpin, e a mulher, Louise Anna Turpin, poderão ser condenados a uma pena de prisão oscilando entre 94 anos e prisão perpétua, precisou o procurador do ministério público, Mike Hestrin, hoje, numa breve conferência de imprensa.

A polícia norte-americana encontrou no domingo 12 irmãos mantidos em cativeiro, alguns acorrentados, esfomeados e sujos na residência dos pais, depois do alerta dado pela 13.ª vítima, uma rapariga de 17 anos que conseguiu fugir da habitação situada em Perris, a duas horas a sudeste de Los Angeles (costa oeste).

No domingo, a adolescente telefonou para o número de emergência 911 a partir de um telemóvel que encontrou na casa e a polícia acorreu ao local, ao encontro da adolescente, “um pouco magra” e que parecia ter dez anos, que denunciou que “os 12 irmãos e irmãs tinham sido presos no interior da residência pelos pais e precisou que alguns deles estavam acorrentados”.

Inicialmente, a polícia pensou que as 12 pessoas encontradas “subnutridas e muito sujas” eram todas menores de idade, mas percebeu que sete eram já adultos, com idades entre os 18 e os 29 anos.

Seis das 13 vítimas, incluindo a adolescente que alertou as autoridades, são menores. Uma das vítimas é um bebé de dois anos.

Quando os agentes detiveram David e Louise Turpin, estes não explicaram por que razão várias crianças foram encontradas acorrentadas a camas, no escuro e no meio de um odor pestilento.

David Turpin é o diretor de uma escola privada em Perris, a Sandcastle Day School, que abriu em 2011, de acordo com um ‘site’ do departamento de Educação dos Estados Unidos.

Fonte: Noticias ao Minuto

Casa dos Horrores: Casal Turpin pode passar o resto da vida na prisão

Etiquetas

, , ,


Casal sujeitou os 13 filhos a condições de vida desumanas.

Casal sujeitou os 13 filhos a condições de vida desumanas.

David e Louise Turpin, casal que protagoniza o escândalo da casa dos horrores, e manteve em cativeiro os 13 filhos durante anos, foram acusados, esta quinta-feira, de tortura e ameaça infantil. Por estes crimes, o casal pode enfrentar uma pena de prisão perpétua, referiu a polícia.

Os meios de comunicação norte-americanos dão conta de que o casal vai enfrentar um processo que engloba 12 acusações de tortura e aprisionamento, sete acusações por abuso a um adulto dependente e seis delitos de abuso infantil.

Por estes crimes, David e Louise poderão ser condenados a 94 anos de prisão. Já pela liberdade de ambos, poderá ser estipulada uma fiança 13 milhões de dólares.

Fonte: Noticias ao Minuto

“É desolador ver isto”. Hospital atualiza estado dos 13 irmãos torturados

Etiquetas

, , ,


É desolador ver isto

Adultos e menores estão a ser tratados em instituições de saúde separadas. De acordo com responsável hospitalar, vão comendo aos poucos para o estômago não recusar os alimentos. Adoram ver televisão.

diretor da instituição de saúde onde estão alguns dos 13 irmãos e irmãs resgatados de casa dos pais no início da semana, na Califórnia, por indícios de tortura e negligência infantil, falou com a revista People sobre a evolução das vítimas. Mark Uffer refere que os sete adultos estão no Corona Regional Medical Center, estando os seis menores numa instituição separada.

“Falei com as enfermeiras – algumas delas são da idade de algumas destas pessoas -, acho que todos nós ficamos com a noção da sorte que temos por nunca termos tido de enfrentar o que eles tiveram de enfrentar”, indicou o responsável. Sublinhe-se que entre os 13 irmãos e irmãs há seis menores e sete maiores de idade. O mais novo tem dois anos o mais velho 29.

O pai das crianças, David Allen Turpin, de 57 anos, e a mãe, Loiuse, de 49, foram detidos na segunda-feira, na sua habitação, em Perris, a duas horas a sudeste de Los Angeles, casa para onde se tinham mudado em 2014.

De acordo com Mark Uffer, os sete adultos – cinco raparigas e dois rapazes entre os 18 e os 29 anos – “estão até bastante estáveis” tendo em conta a situação em que foram encontrados. “Tentamos recriar um ambiente familiar positivo para eles, portanto estão juntos, e parecem estar confortáveis”, indicou, acrescentando que “é uma experiência alarmante para todos nós, quando se vê uma pessoa de 29 anos que parece ter 12, 13 ou 14 anos”.

Notícias ao MinutoImagens de David Allen Turpin e Louise Turpin, captadas na esquadra© Reuters

Sou administrador hospitalar há muito tempo e trabalho na saúde desde 1973… nunca vi isto antes. Posso partilhar com vocês que passei algum tempo com os miúdos… chamo-lhes miúdos mas são adultos. É desolador ver isto. Toca-nos verdadeiramente

Fonte: Noticias ao Minuto

O motivo pelo qual Kate Middleton teve de tirar o anel de noivado

Etiquetas

, , ,


Kate Middleton

Durante uma visita a um hospital, a duquesa de Cambridge teve de retirar a joia.

Kate Middleton não usou o seu famoso anel de noivado – que pertencia à princesa Diana – durante uma visita oficial ao Great Ormond Street Hospital. Em vez isso, optou por um simples anel de ouro no lugar. Conforme revela a revista People, a duquesa tirou o anel por razões práticas, na medida em que queria fazer a visita com o mínimo de joalharia possível.

A esposa de William visitou o hospital no âmbito da inauguração da pediatria e teve a oportunidade de conhecer alguns dos pacientes, assim como as atividades preferidas de cada um. A publicação sublinha que Kate teve de lavar as mãos antes de entrar em determinadas áreas do hospital e que por isso optou por guardar o anel.

De sublinhar que o anel em questão é uma peça de grande valor com 12 quilates em safira e ainda 14 diamantes. Estima-se que valha 500 mil dólares, aproximadamente, 409 mil euros.

Recorde-se que William pediu Kate em casamento em outubro de 2010, durante uma viagem ao Quénia. O matrimónio realizou-se em abril de 2011.

Fonte: Noticias ao Minuto

“Muitas atrizes aquecem produtores para obter papel”, diz Brigitte Bardot

Etiquetas

, ,


Brigitte Bardot

A ex-atriz Brigitte Bardot considerou hoje que a maior parte das denúncias de abuso sexual no cinema, conhecidas nos últimos meses, são “casos hipócritas” e afirmou que muitas intérpretes “aquecem os produtores para obter um papel”.

Numa entrevista à revista ‘Paris Match’, a atriz, que foi um mito erótico dos anos 1960, indicou que toda a polémica provocada pelos abusos a atrizes “ocupa o lugar de temas importantes que deveriam ser debatidos”.

“Depois, para que se fale nelas, dizem que foram objeto de abuso. Na realidade, em vez de as beneficiar, isso prejudica-as”, acrescentou.

“Eu nunca fui vítima de abusos sexuais. E parecia-me encantador quando me diziam que era bonita e tinha um belo rabo. Este tipo de piropos é agradável”, declarou ainda à revista.

Bardot, que está retirada do cinema há muitos anos, dedica-se à defesa dos animais.

Fonte: Noticias ao Minuto

Menino de seis anos alertou polícia: “Vão matar a minha mãe”

Etiquetas

, ,


Mãe da criança estava a ser agredida por ex-namorado. Incidente aconteceu na Corunha.

Mãe da criança estava a ser agredida por ex-namorado. Incidente aconteceu na Corunha.

Às 5h50 da madrugada do passado domingo, a polícia da localidade de Labañou, na Corunha, recebeu uma chamada fora do normal: um menino a pedir ajuda para salvar a mãe. “Vão matar a minha mãe”, disse a criança, de forma muito clara, segundo indicou a polícia à imprensa.

As autoridades acionaram os meios necessários e, minutos depois da chamada, puseram fim a um ataque à mulher por parte do ex-namorado, a quem tinha sido inclusive imposta uma ordem de restrição de aproximação. O agressor estava sob influência de substâncias.

A criança estava em casa com a mãe e com um irmão de poucos meses, conforme escreve o El Mundo.

De acordo com a polícia local, o menino foi um “pequeno herói” pois não só conseguiu descrever o que estava a acontecer como também deu indicação da morada na perfeição. Chegadas à residência, as autoridades depararam-se com outra cena fora do normal: o menino estava a dar biberão ao irmão mais novo, para o acalmar.

Fonte: Noticias ao Minuto